[RESENHA] Caçadores de Nazistas


Bom dia Divagadores, com tem passado? Aqui estou eu para trazer mais uma resenha, que não é do novo livro da Jojo, vocês vão ter que esperar mais uns dias pra isso, mas garanto que mesmo sendo um livro tão diferente do estilo dela, é um livro muito bom. Então sigam-me os bons e vamos pra mais uma resenha.

Mas Gisele, de novo você vai falar sobre um livro que tem haver com a Segunda Guerra Mundial? É vou, me desculpem pessoal, mas eu simplesmente não canso de ler sobre o assunto e esta é a segunda vez que leio algo sobre o pós guerra. A primeira vez que eu li foi em um romance chamado O desaparecimento de Josef Mengele e vocês podem conferir a resenha dele clicando aqui.

Acontece que o livro anteriormente citado nada mais é do que um romance que utiliza fatos reais para ser contado e tinha foco apenas no Mengele, então, como saber o que realmente houve e o que aconteceu não apenas com Mengele, mas também com Klaus Barbie, Adolf Eichmann, Rudolf Höss, entre outros que também foram nomes que sempre são fortemente citados quando se trata da Segunda Guerra? Para a minha sorte não precisei procurar por muito tempo porque no mês passado nossa parceira, a Editora Intrínseca, lançou Caçadores de Nazistas e claro que não pensei duas vezes antes de solicitar uma cópia.

Este livro não é um romance, muito pelo contrário, ele é história pura, no entanto devo dizer que Andrew fez um excelente trabalho no momento me que começou a costurar todo o estudo que fez para o livro. A narrativa é tão fluída quanto a de um bom romance de modo que o livro se torne leve, mesmo sendo cheio de informações chocantes, datas e citações.

Algo que particularmente gostei muito no livro é que em diversos momentos nos deparamos com relatos sobre como os criminosos dessa guerra tão cruel agiram e vemos que algumas pessoas realmente eram crueis ao ponto de tirar uma vida facilmente, mas que algumas pessoas foram enganadas e outras apenas cumpriam ordens e faziam o seu serviço sem questionar por achar que era o melhor a ser feito pela Alemanha.

Vocês bem sabem que eu não trago trechos dos livros no meio das resenhas, mas desta vez quero compartilhar com vocês diretamente aqui um trecho que achei muito interessante:

"Quando vi Eichmann pela primeira vez, fiquei espantado com a minha própria reação", disse. Em vez de sentir ódio, o primeiro pensamento que lhe ocorreu foi: "Nossa, ele parece um homem qualquer." Harel não sabia bem o que esperava da aparencia de Eichmann, mas disse a si mesmo: "Se o encontrasse na rua, eu não veria nennhuma diferença entre ele e os outros milhares de homens que passavam por mim." E se perguntou: "O que faz uma criatura dessas, criada a semelhança do homem, tornar-se um monstro?"
Deixo este trecho aqui porque ele me deu muito no que refletir, para falar a verdade todo o livro me trouxe uma grande reflexão, mas que não colocarei em pauta aqui por não ser o objetivo deste blog. O que quero dizer aqui é que a leitura deste livro é realmente muito rica e que vale a pena tomar um tempinho para ler com calma e compreender tudo o que nele foi apresentado.

Vou ficando por aqui pessoal, beijinhos e até a próxima.

Autor: Andrew Nagorski | Editora: Intrínseca | Páginas: 432 | Ano: 2019




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário