[RESENHA] Um mais um



Boa tarde Divagadores, como tem passado? Eu espero que estejam todos bem. Depois de mais um mês extremamente conturbado na minha vida (não vou dizer que espero que seja o último, porque sei que não será) aqui estou eu para trazer pra vocês resenhas e dessa vez de um dos livros da maravilhosa Jojo Moyes. Vamos parar de enrolar e vamos cair com o pé na estrada galerinha.
Sou uma mulher de fases e isso se aplica a leitura também. Tem vezes que me apego a certos gêneros, tem vezes me apego a escritores e por ai vai indo. Eu tenho lido uma série de livros pesados e complexos, ainda mais para o meu trabalho, então desta vez optei por pedir para nossa parceira Intrínseca um livro da Jojo que é o tipo de leitura que sempre é de fácil compreensão e que me deixa bem levinha com as lindas histórias dela.

Apesar de escrever romances acho incrível a capacidade que a Jojo tem de nos envolver com tramas que não ficam seguindo regras básicas, muito pelo contrário, ela sempre tem um fator surpresa envolvendo sua história, e, neste livro, as coisas não poderiam ser diferentes.

O que achei extremamente incrível neste livro foi que ele apresentou a família de Jess não como uma família tradicional com pai, mãe, filhos e um bichinho de estimação, muito pelo contrário, Jojo criou uma família longe de ser a família perfeita, com muitos problemas que são a realidade da maioria das pessoas no dias de hoje.

Este livro falou muito comigo devido aos momentos que andei passando na minha vida, Jess em particular mexeu muito comigo por refletir grande parte da minha personalidade. De longe passei pelos mesmos problemas que ela, mas o otimismo dela era algo extremamente envolvente e vi que a gente não tem que ser perfeito o tempo, que uma hora a gente vai cair, que podemos ficar tristes, que de vez em quando a gente precisa curtir um bode pra se reerguer mais forte na vida. 

Além de Jess contamos também com a participação de Ed Nicolls, que aparece enviado até o pescoço em problemas e no meio de tantos problemas decide ajudar Jess e seus filhos em uma jornada onde no final das contas ele acaba descobrindo muito de si, o peso da responsabilidade sobre seus atos, a necessidade de se aproximar novamente de sua família e de se abrir novamente para o amor.

E o que falar de Tanzie e Nicky, eles são dois personagens que mostram para nós a constante batalha que é para criar um filho, os desafios que crianças e adolescentes tem em suas vidas e o quanto temos que prestar atenção neles, trazendo a tona um tema muito debatido nos dias de hoje, sabe aquele tal de bullying? Isso mesmo, Jojo nos mostra o sofrimento que nossos filhos podem ter de uma forma que nos deixa claro que não é frescura e sim um problema que merece atenção. 

Um mais um
O livro é narrado em terceira pessoa, exceto por alguns poucos capítulos onde temos Nicky e Tanzie narrando em primeira pessoa. Cada um dos capítulos é narrado por um personagem diferente, de uma maneira completamente fluída e que nos possibilita conhecer melhor cada um dos seus personagens e ver quais são as lutas que cada um travam para conseguir seguir com a sua vida. 

Claro que, em como todos os livros da Jojo é impossível não se emocionar. Perdi as contas de quantas vezes me peguei rindo, chorando e, principalmente, torcendo para que tudo acabasse bem para todo mundo.

Bem, é isso ai Divagadores, vou me despedindo por aqui.
Beijinhos e até a próxima.

Autor: Jojo Moyes | Editora: Intrínseca | Páginas: 320 | Ano: 2015



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário