[ESPECIAL] Liane Moriarty e seus livros


Oi gente, voltei para dar continuidade a essa semana especial dedicada à Liane Moriarty. Hoje falarei um pouco sobre outros livros dela, a maioria deles não cheguei a ler ainda, mas tenho alguns conhecimentos sobre.

Os livros de Liane Moriarty tem alguns pontos em comum entre eles e os que mais aparecem neles são assuntos relacionados à família e ao casamento. Outro ponto é a dose de mistério que ela gosta de acrescentar em suas tramas, que conquistam e prendem os leitores facilmente.




O primeiro grande sucesso da autora aqui no Brasil foi "O segredo do meu marido". A trama gira em torno da chegada de uma carta que Cecilia, a protagonista da história, descobre no sótão de casa, que foi escrita pelo marido na época do nascimento do primeiro filho do casal. A carta era endereçada a ela e, com toda a curiosidade que a situação causa, ela busca entender o que está por trás da misteriosa carta do marido e se ele guarda algum segredo importante.
É um livro sobre o poder dos segredos, do quanto eles podem destruir um relacionamento e uma família em um piscar de olhos.




Se "O segredo do meu marido" praticamente colocou a autora no mapa, "Pequenas grandes mentiras" foi responsável por torná-la definitivamente um fenômeno da literatura e trazer ainda mais fãs, muito por conta da adaptação para TV que o livro recebeu e que foi um enorme sucesso, tanto entre os fãs dos livros, quanto para quem não os conhece e, claro, na crítica, rendendo inúmeros prêmios.
A trama gira em torno de três mulheres que se conhecem e se veem no meio de uma situação complicada quando alguém morre ao cair da varanda de uma escola. Foi assassinato? Acidente? Os filhos dessas mulheres parecem ter algum papel no acontecido. Abordando desde os já conhecidos dramas familiares pelos quais se destaca, Liane Moriarty também insere no livro assuntos de extrema importância, como o bullying. Um livro sobre o papel devastador das mentiras.




E finalmente chegamos no livro que li da autora além de "O que Alice esqueceu." A história contada aqui nos apresenta três famílias, cada uma com suas particularidades. Em um churrasco, certa tarde, algo acontece que acaba causando uma sensação de culpa e desconforto entre eles. Com isso em mente, a trama aborda justamente essa questão de culpa e o grande poder que as palavras possuem.
Depois de ler "O que Alice esqueceu", a impressão que eu tinha sobre "Até que a culpa nos separe praticamente se confirmou. Os dois livros que o antecederam parecem ser quase unanimidade entre os fãs da autora, o lançamento mais recente da Intrínseca também é muito bem visto, enquanto esse é um pouco mais criticado. Na minha leitura achei que a trama tinha um ritmo bem irregular, muitas vezes arrastado, mas que ainda assim, conquista o leitor por instigar a curiosidade por saber o que de fato aconteceu naquele dia. Com a impressão de que dura mais do que deveria, "Até que a culpa nos separe" ainda é um livro com as principais características da autora.

Para encerrar, não sei se já sabem, mas parece que tem livro novo dela a caminho. Nine Perfect Strangers está programado para ser lançado por ela ainda esse ano e, imagino eu, deve ser lançado também aqui no Brasil, não sei se simultaneamente. Uma coisa é certa, os fãs não ficarão muito tempo esperando por material novo da autora.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário