[RESENHA] Jogo de Espelhos

Autoras: Cara Delevingne e Rowan Coleman
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Ano: 2017
Classificação: 4/5
Naomi, Rose, Leo e Red são adolescentes enfrentando aquela fase em que se relacionar no colégio é tão difícil quanto encarar os próprios problemas. Red tem uma mãe alcoólatra e um pai ausente; o irmão de Leo está na prisão; Rose usa sexo e drogas para mascarar traumas antigos e Naomi se esconde atrás de peruca e maquiagem pesada.
Quatro adolescentes tão diferentes viram melhores amigos quando são obrigados a formar uma banda. O que era uma tarefa chata vira a famosa e popular Mirror, Mirror. Através da música, eles encontram um caminho para encarar o mundo de outra forma.
Mas tudo desmorona quando Naomi some misteriosamente e é encontrada, dias depois, entre a vida e a morte. O acidente desestrutura a banda e, consequentemente, a vida de todos. A sólida relação de amizade que eles achavam estar construindo tinha uma rachadura, e tudo o que restam são dúvidas e vazios. O que aconteceu com Naomi? Foi um acidente ou um ataque? Por que ela fugiria e deixaria a banda para trás? Por que esconderia segredos dos seus melhores amigos? Para desvendar o mistério por trás dessa história, Red e os amigos entram em uma investigação que vai desenterrar seus próprios segredos obscuros e fazê-los confrontar a diferença entre o que eles realmente são de verdade e a imagem que passam para o mundo.
Em seu romance de estreia, a modelo e atriz Cara Delevingne revela mais um talento ao apresentar um olhar fresco e sagaz sobre questões atuais da juventude: amizade, bullying, identidade, gênero, transtornos emocionais, a influência perigosa das mídias sociais nas relações e o poder destruidor da imagem.
Olá pessoal. Estou de volta para falar de uma das minhas maiores surpresas do ano. Indeciso sobre o que ler dos lançamentos da Intrínseca, decidi dar uma olhada em alguns livros e um deles me chamou bastante a atenção, tanto pela premissa quanto, também, pelas opiniões gerais e nota no skoob, algo que não levo tanto em consideração antes de ir em busca de um novo livro. Com seu livro de estreia, Jogo de Espelhos, muito bem avaliado, decidi dar uma chance para Cara Delevingne e ver se ela se sai bem no papel de escritora. Vamos para a resenha.


Não quero me estender tanto na descrição da premissa da obra, já que a sinopse já deixa bem claro o que esperar da leitura. É um livro principalmente sobre dramas adolescentes, falando sobre bullying, descobertas, amizades, sexualidade, famílias problemáticas e o grande perigo de se confiar em tudo que aparece através das redes sociais, esse último com um contexto mais pesado envolvido diretamente com a parte central da trama, que é o caso do desaparecimento de Naomi e como isso afeta aqueles que estão em torno dela.

O livro é narrado do ponto de vista de Red, que passa por uma fase de descoberta há alguns anos, além de ter grandes problemas em casa, tendo que fazer de tudo para cuidar da irmã mais nova enquanto assiste a mãe se afundar na bebida e o pai não estando mais presente, sempre saindo à noite com as amantes. É por seu ponto de vista que começamos a conhecer mais profundamente os demais personagens, como Rose, Leo e a própria Naomi. Um grupo de amigos que aparentemente tinham pouco em comum mas que se entenderam através da música.


Red é muito interessante como personagem, mas, ao mesmo tempo, talvez eu preferisse que a narrativa fosse em terceira pessoa ou que tivéssemos pontos de vista diferentes, uma vez que Rose e Leo são interessantíssimos também. Mesmo assim, tanto Cara quanto Rowan Coleman conseguem trabalhar bem a escrita de forma que a trama de todos eles sejam aprofundadas.

Red também é objeto de uma das maiores reviravoltas do livro, que me pegou tão de surpresa que logo no ato do acontecimento eu não me toquei do que estava escrito, com a ficha caindo somente no início do capítulo seguinte. Foi surpreendente, ao menos para mim. Foi uma surpresa interessante e justifica a atitude de diversos personagens nas páginas anteriores a esse plot-twist. Não é algo de extrema necessidade na trama, uma vez que poderia ser tratado de forma mais natural e desde o início, mas serve como acréscimo no papo de crescimento e descoberta.

O livro tem uma segunda reviravolta, mas não tão inesperada assim, que envolve a descoberta de quem foi responsável e as circunstâncias do desaparecimento de Naomi. As pistas nesse caso são bem menos sutis e, com o andar da trama, vai ficando cada vez mais óbvio, mas não é um demérito.


Os temas propostos são muito bem trabalhados. Fica claro desde o início que, apesar de todo o mistério e o natural drama que vem com ele, é um livro que vai buscar tratar dos temas propostos da maneira mais leve e natural possível, mas sem deixar o livro em si com uma narrativa rasa e sem profundidade. O resultado disso é um ótimo balanço entre tudo o que as autoras propõem, que percorre as páginas de forma simples, sem rodeios e com muito cuidado para não deixar a obra com um clima mais pesado que o necessário.

É claramente um livro onde elas buscaram o máximo possível não cair fundo nos clichês do gênero e ao mesmo tempo entregar uma obra crível, real e que retrata um bom drama de adolescentes com seus problemas e famílias problemáticas.


Com drama na dose certa, personagens adolescentes bem trabalhados e interessantes e uma interessante discussão social através de diversas temáticas abordadas, Cara Delevingne, com Rowan Coleman como co-escritora, entrega uma surpreendente estreia no mundo literário.

Não consegui parar de ler enquanto não terminasse. É uma leitura que vale à pena, então está mais que recomendada.

Espero que tenham gostado da resenha. Até a próxima!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário