[RESENHA] Geekerela

Autora: Ashley Poston
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Ano: 2017
Classificação: 4/5
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.
Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.
Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.

Acho que já falei algumas vezes aqui no blog o quanto gosto de ser surpreendido com as leituras que escolho. Com o livro título dessa resenha, Geekerela, a surpresa aconteceu. Confiram o que achei da leitura.


Resolvi solicitar à nossa parceira Intrínseca o livro Geekerela, para dar a chance a uma leitura pela qual eu normalmente não daria tanta bola. Eu realmente não esperava muito coisa além de um romance genérico e a tentativa de colocar os protagonistas como nerds, geeks e representar bem essa grande comunidade de pessoas que entendem como ninguém as séries, os filmes, os quadrinhos e tudo mais que amam. E eu não poderia estar mais enganado.

Geekerela vai contar a história de Elle, que descobre que sua série favorita vai ganhar um reboot hollywoodiano e, para piorar as coisas, o protagonista será vivido pelo mais novo astro teen do momento, o ator Darien Freeman. Ainda assim ela decide participar de um concurso de cosplay que dará direito à participar de um baile com o astro e também ingressos para a premiére do filme. O objetivo dela de participar do concurso não é dar uma de fã maluca de Darien, mas sim ganhar e poder se ver livre da madrasta e suas filhas, que fazem de tudo para que a vida dela seja um inferno. 


O plano é simples: pegar todas as economias que ela juntou ao longo de tempo que passou trabalhando ao lado de uma amiga na “Abóbora Mágica”, um foodtruck vegano, comprar passagens e ingressos para a convenção, ganhar o concurso e se mudar para Los Angeles.

Já Darien, apesar de ter o papel de protagonista da série que marcou sua infância como grande sonho da carreira, sente que está fazendo as coisas do jeito errado, principalmente por conta da pressão que ele sofre por parte do pai, que parece focar muito mais na carreira do filho e no dinheiro que ela possa gerar a prestar atenção às próprias vontades do mesmo.

Talvez vocês estejam se perguntando: aonde mesmo que Geekerela surpreende? Realmente, a premissa pode até parecer genérica, mas é naquilo que o livro se propõe a fazer além do básico enredo do romance, que ele mais se destaca.


O romance entre os protagonistas é bem água com a açúcar, mais do mesmo, basicamente. Ao menos, como personagens, eles são bem interessantes e com seus próprios dilemas. Elle tem um pouco de dificuldade em lidar com a vida pós-morte do pai. Já Darien tem o pai vivo, mas não consegue enxergar nele a figura paterna que ele já foi um dia. Os dois anseiam por algo mais para dar um novo sentido em suas vidas.

E falando dos destaques da obra. A ideia de trazer o universo geek para dentro de um livro que também pretende ser uma espécie de releitura do clássico Cinderela pode até fazer alguns virarem a cara para a obra. O que acontece é que a autora soube exatamente como traduzir o amor dos fãs por aquilo que amam, toda a dedicação deles em torno das obras famosas do entretenimento que nós conhecemos. Isso tudo com todas as referências possíveis ao conto já citado. Temos a madrasta e suas filhas, a abóbora, aquela coisa de voltar antes da meia noite, o príncipe encantado, o sapatinho de cristal e tudo mais que vocês puderem lembrar como elemento de destaque no clássico eternizado por Walt Disney.


A autora ainda deu um pouco de atenção ao tema da homossexualidade, com duas personagens coadjuvantes, o que foi bacana, por mais que eu tenha sentido falta de um pouco mais de aprofundamento, principalmente por conta de ter começado repentinamente.

E é isso, me surpreendi mais uma vez. Espero que tenham gostado do texto. E também espero em breve voltar com uma rotina maior e mais variada de posts em pouquinho tempo, pra movimentar esse blog novamente. Nos vemos em breve, até a próxima!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário