[RESENHA] Laranja Mecânica

Autor: Anthony Burgess
Editora: Aleph
Páginas: 352
Ano: 2012
Classificação: 5/5
Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de "1984", de George Orwell, e "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley, "Laranja Mecânica" é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.
Olá drugues sou Eliana, nova por aqui e a primeira resenha é sobre Laranja Mecânica do autor Anthony Burgess.

A grande e brilhante obra clássica é uma distopia futurista criada no ano de 1972 que conta a história do jovem Alexander Delarge e os seus três “drugues”, George, Tosco e Pete. Todos são anárquicos e depravados.

Narrado em primeira pessoa, com diálogos em sua maior parte feitos na linguagem “Nadsat”, Laranja Mecânica acaba por ser um livro violento e com uma graça que muitas vezes passa despercebido por quem o lê. Alex, o protagonista, se vê em conflitos com o governo porque é um jovem violento, ele acaba sendo pego e levado para a prisão onde passa por medidas corretivas do governo, que através de uma técnica chamada “Ludovico” tortura sua mente por meio da dor. A obra expõe também críticas sociais, abordando temas como capacidade de escolha violência e religião.


A leitura me fez refletir sobre diversos temas que até hoje, cinquenta anos depois do seu lançamento ainda são abordados na sociedade atual: direitos humanos, maioridade penal, influência da religião e o poder de liberdade.

Com um final surpreendente, apesar de mal, Alex demonstra uma pureza e inocência, que faz com que a história seja bem recebida pelo leitor. No início pensei que teria dificuldades em entender o idioma “Nadsat” falado por Alex e os jovens da época e local onde a história ocorre, mas o livro conta com um dicionário para dar uma ajudinha e, mais pra frente fazendo com que eu, particularmente, não precisasse recorrer a ele ao longo da leitura, porque a linguagem se adéqua facilmente ao contexto e logo torna-se familiar.

Laranja Mecânica foi eleito um dos cem melhores romances de língua inglesa do século vinte e vale a pena conferir. Espero que tenham gostado e até a próxima!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário