[ESPECIAL] Semana S. Percepção Final


Olá pessoal. A última postagem da Semana S. finalmente está no ar. O tema de hoje, como o próprio título diz, é relacionado à nossa percepção final da obra. Então, vamos lá, encerrar essa semana especial sensacional!


Vocês acreditam se eu disser que falar mais do que já falei de "S." ao longo da semana é bem difícil? Mas, em resumo, o trabalho de J. J. Abram s e Doug Dorst foi uma experiência indescritível! Em nenhum momento da minha vida como leitor achei que algum dia eu teria em mãos uma obra que proporcionasse o misto de sentimentos que "S." e "O Navio de Teseu" proporcionaram, com sua gama de mistérios e toda a interação com os leitores por meio das anotações e anexos do livro.

"O Navio de Teseu" conta com uma história misteriosa e nebulosa. Mesmo após o fim da leitura pouco podemos enxergar e não nos resta muita escolha a não ser continuar a especular o que aconteceu, o que poderia acontecido, o motivo de diversos acontecimentos e etc. É a obra prima de Straka, muito mais pelo mistério em torno de sua concepção do que pela história em si narrada nos capítulos do livro. É uma mensagem. É uma resposta a segredos não revelados, basta o leitor estar disposto, juntamente das anotações nas margens de Eric e Jen, desvendar as cifras, descobrir códigos, frases secretas e outros mistérios que existem aos montes. 

O trabalho da Intrínseca com a edição brasileira dispensaria qualquer comentário, mas a satisfação e alegria de ter algo dessa qualidade em mãos exige que o trabalho da editora seja lembrado e lembrado e lembrado, seja quantas vezes for. Sabe-se lá quando iremos ver algo desse tipo publicado lá fora e trazido para o Brasil com essa fidelidade ao material original novamente. E não falo isso simplesmente por sermos parceiros. Quem já colocou as mãos no livro, no mesmo instante percebeu que o que está segurando é fruto de uma dedicação desmedida. Disse ontem que quem esperou pelos dois anos que o livro levou para ficar pronto foi recompensado com um projeto gráfico e editorial incrível. Parabéns à Intrínseca pelo belo trabalho!


Uma palavra que resume "S.", para mim: Experiência. Não tem como eu não ter acabado achando isso, por tudo que envolve esse livro, desde a concepção até o resultado final. Desde o início da leitura até o final, onde sabemos que teremos que reler porque ficou faltando desvendar uma coisa. E quando for reler, descobre que deixou mais coisa para trás. É uma experiência que vai demorar bastante para se esgotar. "S." é lindo na estante, é lindo para fotos, mas garanto, vai ser ainda mais lindo quando você parar, pegar o livro, abrir na primeira página e entrar no universo criado por J. J. Abrams e Doug Dorst. 

É isso, essa é minha percepção final e encerramento da Semana S. Basicamente um apanhado de tudo que já disse nos outros posts com o acréscimo de mais admiração pelo trabalho realizado na edição brasileira. Leiam, da maneira que quiserem. Tudo de uma vez, ou primeiro "O Navio de Teseu", para depois passar para margens e anexos. Só leiam!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário