[RESENHA] Grey

Autor: E. L. James
Editora: Intrínseca
Páginas: 524
Ano: 2015
Classificação: 5/5
Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.

Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.

Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

Boa noite Divagadores, depois de muito tempo olha eu aqui outra vez para trazer mais uma resenha pra vocês.  Espera ai eu disse resenha? Vou ser sincera, esse é mais um caso em que não sei se posso dizer se isso vai ser uma resenha ou um apanhado com as minhas impressões sobre o livro. Bem porque vamos falar a verdade, a maioria das pessoas aqui esta cansada de saber a história de Cinquenta Tons de Cinza e não importa se você é do tipo de pessoa que ama ou odeia o livro. Então vamos ao que interessa.

Para começar tenho que dizer que não é segredo nenhum que eu tenho um caso de amor e ódio com a trilogia original, ver a história narrada pelo ponto de vista da Anastasia sempre foi um pé no saco porque acho ela uma personagem muito chata e que o que eu mais gostei na trilogia original foi o capítulo adicional narrado pelo ponto de vista do Christian que foi colocado no final de Cinquenta Tons Mais Escuros. Naquela época eu já achava incrível o contraste da E. L. James em compor seus personagens, depois de ler Grey esse contraste ficou ainda mais nítido.


Tenho que dizer que a autora continuou mantendo aqui o seu vício de ficar repetindo palavras e expressões. Quer um exemplo? Troque a mania da Ana de falar do cabelo pós foda do Christian pela mania do Christian de ficar falando do cheiro da Ana e por ai vai. Esse ponto continuou firme e forte, mas de resto não tenho do que reclamar. Eu ouvi pessoas reclamando que o linguajar empregado no livro era mais pesado do que no primeiro, mas muita gente esqueceu que a narrativa agora estava vindo do ponto de vista de um homem e não de uma mulher e que era óbvio que as coisas ficariam um tanto quanto diferentes.

Por falar na narração pelo ponto de vista masculino tenho que dizer que a E. L. James superou as minhas expectativas. Não posso dizer com toda certeza que ela acertou em tudo ao escrever como o Christian porque eu sinceramente nunca li um livro erótico escrito por um homem para ter ideia, mas em certos aspectos achei que o tiro foi certeiro já que sou casada e em muitos pontos vi pensamentos do Christian que o meu meu marido já falou pra mim de forma bem clara.


Uma coisa que eu tinha bastante receio era que a escritora crua que escreveu a trilogia original continuasse habitando dentro da autora e que com isso ela não acabasse preenchendo as lacunas da história, eu imaginei que talvez ela se focasse apenas em escrever as cenas em que a Anastasia estava presente, mas para a minha alegria não foi isso o que ela fez. Ela preencheu todas as lacunas direitinho mantendo o rumo da história e para aqueles que achavam que ela não poderia acrescentar nada novo veio a surpresa. Sim, ela conseguiu acrescentar coisas novas. Gente, eu amei ver os sonhos do Christian e as coisas que o atormentavam e tornavam ele o que ele é escritas de maneira tão clara. Sempre achei que o Christian era um personagem que merecia melhor exploração na trama de Cinquenta Tons de Cinza e em Grey o personagem foi colocado de forma maravilhosa.

Esse livro pode facilmente ser lido por quem não leu a trilogia original sem deixar as pessoas confusas com o que esta acontecendo e eu realmente espero que a autora dê continuidade a esse projeto, eu estou completamente por fora, não sei se ela tem planos de continuar. Sinceramente nem sei se o livro anda fazendo sucesso porque como eu disse para algumas pessoas eu nem tenho visto tantas pessoas lendo Grey quanto eu via lendo os livros da trilogia original. Enfim, fico aqui de dedos cruzados na esperança de que meu apelo e de muitas outas pessoas seja atendido e que Grey tenha sua continuação.

Bem, vou ficando por aqui  pessoal... Eu realmente não tenho muito o que dizer sobre esse livro, mas isso não muda o fato que eu amei e ao contrário dos seus irmãos mais velhos ele entrou para os meus favoritos.

Beijinhos e até a próxima.


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário ♥

Postar um comentário