[RESENHA] Mentirosos

Autora: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Páginas: 272
Ano: 2014
Classificação: 5/5
Mentirosos - Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

Mais resenha! Aos poucos vou colocando minha pilha de resenhas em ordem, mas ainda falta muito! Enfim, hoje, o incrível e controverso Mentirosos. Introdução rápida para uma resenha que também deve ser rápida. Vamos lá!

Mentirosos vai contar a história de um certo verão da poderosa família Sinclair. Os verões da família são passados todos, sem nenhuma excessão, em sua ilha particular. Cadence é neta primogênita e principal herdeira e junto de seus primos, Mirren e Johnny, e Gat, amigo dos três, formam os Mentirosos.

Os principais acontecimentos narrados se passam ou aconteceram durante o verão dos quinze anos, onde, em um fatídico dia, Cadence sofre um acidente, que ocasiona amnésia, dores de cabeça, depressão e outros problemas de saúde que iniciaram após o ocorrido. O acidente é um mistério para ela e a família se recusa a dar mais detalhes. Somente após seu retorno à ilha é que ela passa a lembrar aos poucos do que realmente aconteceu naquele dia.


Por que Mentirosos é um livro controverso? Vai muito do gosto do leitor e de sua atenção em leituras deste tipo, onde há um mistério por trás da história e o leitor tem que descobrir ou ser surpreendido. Ainda assim, quem não descobre pode acabar se frustrando com a leitura. No meu caso, não me frustrei. Apesar de, nas aparências, ter um início bem lento em questão de narrativa e importância para a história, a escrita é leve, ágil e com capítulos curtos. É o tipo de livro pra ser lido em pouquíssimas horas. A autora consegue narrar os acontecimentos de uma maneira que o leitor começa se perguntando porque tudo aquilo, que não parece ter importância nenhuma, que depois começa a pegar um ritmo mais forte, com as lembranças de Cadence e que por fim, após a grande revelação, tudo passa a fazer sentido e se encaixar perfeitamente na trama.

O retrato que a autora faz dos dramas familiares também é bem convincente. A família Sinclair está longe de ser a família perfeita ou pelo menos legal. O interesse financeiro é, basicamente, o que move a vida das filhas da família, que fazem de tudo para agradar o patriarca, até mesmo usando suas crianças para conseguir o que querem.

Cadence descobrindo os mistérios também é outro ponto super positivo do livro. Ela é uma personagem bastante irônica e usa dessa ironia para contar sobre suas descobertas, além de colocar boa parte de seus pensamentos em diversas versões de uma mesma história, escritas por ela e espalhadas ao longo da obra. E o fato da própria personagem ser a narradora contribui ainda mais na imersão dos acontecimentos. Conseguimos perfeitamente ver em suas palavras a confusão que está sua cabeça com todos os problemas que ela adquiriu depois do acidente.

A interação da protagonista com os demais personagens, principalmente com o grupo dos Mentirosos é outro ponto legal da obra. Dá pra perceber a união que existe entre eles e também o ar misterioso que ronda o quarteto. Não entrarei em mais detalhes por questões de qualquer informação a mais é um perigo!

Porém, o grande destaque da obra é sem dúvida o final, a grande revelação! Se você é do tipo de leitor que prefere ler pegando o mínimo de pistas, o mínimo mesmo, prepare-se. Eu, quando estava lendo, fiquei praticamente em estado de choque, lendo e relendo as primeiras linhas da última parte do livro. Quase chorei, só me segurei porquê haviam muitas pessoas no mesmo lugar em que eu estava. O melhor desse final talvez seja que ele explique, sem precisar de muitas linhas, todo o resto do livro. Lembram das coisas que talvez não faça sequer a menor falta na história no começo? Pois é, depois do final a presença de boa parte dos elementos da narrativa utilizados na escrita da autora se fazem essenciais pra compreensão de tudo, além é claro, de serem pistas cruciais para os que preferirem resolver o mistério antes do choque final.

A edição da Seguinte, um dos selos da Companhia das Letras, está ótima, só não gostei muito da capa e do material com efeito metálico e emborrachado usado. De resto, está tudo ok!

Essa é fácil uma das minhas melhores leitura do ano, só está em segundo porque depois surgiu um tal de incrível Emperor of Thorns (em breve, enfim, resenha deste último e sensacional volume). Leitura muito recomendada e espero que aqueles que ainda vão se aventurar pela obra, consigam ser pegos de surpresa assim como eu e grande parte dos leitores fomos. É isso, acabou. Até a próxima!

Comente com o Facebook:

2 comentários ♥

  1. Poxa, se é uma das suas melhores leituras do ano deve ser realmente muito bom, gostei do enredo e já fiquei curiosa com este final.
    Obs: chorar lendo um livro não é vergonha, não.
    Abraços,

    Gisela
    @lerparadivertir
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, eu sei. Já chorei lendo um livro. Nesse só segurei mesmo por ter gente demais ao meu redor e inclusive conversando comigo kkkkk
      Indico bastante a leitura e espero que goste ^^

      Excluir